quinta-feira, 1 de junho de 2017

13 DE JUNHO DIA DE SANTO ANTÔNIO- PADROEIRO DE GARANHUNS

Com certeza um dos santos mais populares da Igreja Católica é Santo Antônio. conhecido tradicionalmente como o "Santo Casamenteiro", este santo é o responsável por uma história de determinação, em meio às barreiras que lhe impediam de realizar grandes feitos de evangelização. Santo Antônio, cujo nome de registro é Fernando de Bulhões y Taveira de Azevedo, nasceu em Lisboa, em 1195.
Muito Cedo, aos quinze anos, entrou no colégio dos cônegos regulares de Santo Agostinho onde, em apenas nove meses, aprofundou tanto o seu estudo da Sagrada Escritura que foi chamado mais tarde pelo papa Gregório IX.
Santo Antônio foi cônego regular em Portugal até os vinte e cinco anos, quando um fato mudou a sua vida. Ao saber que cinco franciscanos tinham sido martirizados em Marrocos, conseqüência da tentativa de evangeliza infiéis, Santo Antônio decidiu seguir-lhes os passos e ser missionário.
Foi então que entrou para a ordem dos frades franciscanos e logo foi enviado para trabalhar entre os muçulmanos de Marrocos. Tudo teria dado certo se sua saúde suportasse o clima africano, porém foi obrigado a retornar para a Europa, onde ficou por algum tempo em um eremitério, perto de Forli, na Itália. Nessa época foi cozinheiro e levou uma vida totalmente obscura, até que seus superiores, percebendo o seu dom de oratória bastante desenvolvido, o estimularam a treinar durante nove anos, ocupando durante este tempo vários cargos, como o de professor em sua ordem na Itália e na França e também pregando nos lugares onde a heresia era mais forte. Antônio não somente mostrou capacidade em seus sermões com também por possuir um incrível conhecimento da Bíblia. Impressionava tanto um intelectual quanto as pessoas mais simples.

domingo, 28 de maio de 2017

09 DE JUNHO- DIA DE ANCHIETA

Dia de Anchieta

Dia de AnchietaVocê já deve ter ouvido falar no Padre
José de Anchieta, não é mesmo?
Ele foi um dos primeiros jesuítas a chegar
ao Brasil e logo percebeu que tinha uma missão pela frente: catequizar os índios
que encontrou ao longo do litoral brasileiro.
Nascido nas Ilhas Canárias (Espanha), Anchieta tinha 19 anos quando chegou
ao Brasil, em 13 de julho de 1553 e sempre foi muito empenhado em tudo que fazia,
e veja que ele tinha muitos dons: era professor de ensino primário, catequista, ensinando os princípios da religião católica aos índios, enfermeiro, ajudando a fundar hospitais e cuidar dos doentes, guerreiro, ajudando em conflitos entre os índios e os
estrangeiros e também escritor, deixando duas obras especializadas “Gramática da Língua Brasílica” e “Vocabulário Tupi-Guarani”, que tratava da língua falada pelos índios tupi-guaranis.
Ajudou a fundar as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, sempre trabalhando a favor dos índios. Finalmente resolveu estabelecer moradia no Espírito Santo, na antiga aldeia de Rerigtibá, hoje chamada de Anchieta. Faleceu em 9 de junho de 1597 e por isso em 9 de junho é comemorado o “Dia de Anchieta”, em homenagem ao padre.

domingo, 14 de maio de 2017

DIA DAS MÃES!

BOM DIA! LINDAS MAMÃES DESEJO A TODAS VOCÊS UM DIA ABENÇOADO , QUE DEUS EM SUA INFINITA GRAÇA AS ILUMINE SEMPRE!
UM ABRAÇO CARINHOSO , TIA DANI


segunda-feira, 17 de abril de 2017

DIA 18 DE ABRIL-DIA DO LIVRO!

Você sabia que no dia 18 de abril é comemorado o Dia Nacional do Livro Infantil? A data não foi escolhida ao acaso: trata-se de uma justa homenagem a Monteiro Lobato, escritor que, como poucos, dedicou-se à literatura infantil no Brasil.
O Dia Nacional do Livro Infantil foi instituído em 2002, ano em que foi criada a Lei 10.402/02, registrando a data de nascimento de Monteiro Lobato como o dia oficial da literatura infantojuvenil. Escritor vinculado ao Pré-Modernismo brasileiro que contribuiu com obras célebres para o público adulto, Lobato deixou também um enorme legado para a literatura infantojuvenil, já que mais da metade de seus livros era dedicada a esse público. Sua primeira história infantil, A menina do narizinho arrebitado, foi publicada em 1920, e o sucesso do livro fez com que outros tantos surgissem, imortalizando as personagens Dona Benta, Pedrinho, Narizinho, Tia Nastácia, Emília, o Visconde de Sabugosa, entre outros, que posteriormente seriam eternizados no famoso programa de TV produzido no final dos anos 1970 até meados dos anos de 1980 e retomado no final dos anos de 1990 até meados dos anos 2000.
Recorrentes nos livros de Monteiro Lobato, as personagens moradoras do Sítio do Picapau Amarelo ficaram eternizadas em nossa literatura
Recorrentes nos livros de Monteiro Lobato, as personagens moradoras do Sítio do Picapau Amarelo ficaram eternizadas em nossa literatura
Monteiro Lobato foi o primeiro escritor da literatura infantojuvenil a perceber a necessidade de inserir nas histórias para as crianças e os jovens elementos da cultura nacional, como os costumes do povo do interior e as lendas de nosso folclore. Fez isso de maneira única, combinando a identidade brasileira aos elementos da literatura universal, como a mitologia grega. Foi também o precursor da literatura paradidática, cuja principal característica é permitir que a criança aprenda enquanto brinca e lê.
Nascido em Taubaté, estado de São Paulo, no dia 18 de abril de 1882, Monteiro Lobato transformou-se em “gás inteligente” — definição bem-humorada que costumava dar à morte — no dia 04 de julho de 1948. Durante seus 66 anos de vida contribuiu intensamente para a literatura brasileira, transformando-se em referência no assunto. Para celebrar o dia da literatura infantojuvenil, escolha um dos vários títulos de Lobato e boa leitura!
Títulos da literatura infantojuvenil de Monteiro Lobato:
1 – Reinações de Narizinho;
2 – Viagem ao céu e O Saci;
3 – Caçadas de Pedrinho e Hans Staden;
4 – História do mundo para as crianças;
5 – Memórias da Emília e Peter Pan;
6 – Emília no país da gramática e Aritmética da Emília;
7 – Geografia de Dona Benta;
8 – Serões de Dona Benta e História das invenções;
9 – D. Quixote das crianças;
10 – O poço do Visconde;
11 – Histórias de tia Nastácia;
12 – O Picapau Amarelo e A reforma da natureza;
13 – O Minotauro;
14 – A chave do tamanho;
15 – Fábulas;
16 – Os doze trabalhos de Hércules (1º tomo);
17 – Os doze trabalhos de Hércules (2º tomo).

Por Luana Castro
Graduada em Letras

PEREZ, Luana Castro Alves. "18 de abril — Dia Nacional do Livro Infantil"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-nacional-livro-infantil.htm>. Acesso em 17 de abril de 2017.